Blog do Marcio Moraes

Histórico

Dez fiordes para impressionar os seus olhos

Marcio Moraes

Caro viajante,

Já escrevi aqui sobre os belíssimos fiordes noruegueses e a riqueza dos detalhes que apenas a natureza pode nos explicar. As águas que costuram gigantescas montanhas carregam um passado de vales rochosos inundados pelo mar durante a Era Glacial.

Naquela época, as regiões costeiras, que permitiam a formação de geleiras pela baixa temperatura, sofreram a chamada erosão glacial, que é quando blocos de gelo derretem e deslizam pela terra, gerando atrito e uma erosão em formato de U. Conforme os rios de gelo escorreram encostas abaixo, foram formados os fiordes, estreitos paredões espalhados pelo globo.

Abaixo, você pode acompanhar uma seleção dessas obras-primas da natureza, que impressionam pelo tamanho e oferecem uma vista espetacular!

1. Fiorde de gelo de Ilulissat, Groelândia

Considerado um dos destinos mais procurados da maior ilha do mundo, Ilulissat possui o turismo como principal fonte de renda. Nem mesmo o frio do Círculo Polar Ártico atrapalha a vontade dos turistas de conhecer o fiorde da cidade. É possível chegar de barco, helicóptero e até mesmo a pé, por uma caminhada de aproximadamente dois quilômetros.

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

2. Fiorde de Hardanger, Noruega

O quarto maior fiorde do mundo merece respeito! Além de ser um grande centro de produção de salmão, o Fiorde de Hardanger revela toda a riqueza da natureza norueguesa por meio de um rochedo extremamente famoso: o Trolltunga. Embora o cenário pareça inacessível, a área possui uma excelente infraestrutura para a acomodação e é berço do Hardanger fiddle, instrumento tradicional do país.

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

3. Doubtful Sound, Nova Zelândia

Localizado no Parque Nacional de Fjordland, o fiorde neozelandês é chamado de ‘o som do silêncio’ na ilha sul do país. A fauna é um dos atrativos da região, portanto não fique surpreendido caso encontre pinguins no local. Com cerca de 420 metros de profundidade, o Doubtful Sound pode ser admirado em um dos diversos cruzeiros ou em um voo de helicóptero. Que tal?

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

4. Fiorde de Geiranger, Noruega

De braços abertos. O Fiorde de Geiranger é um dos mais belos da costa norueguesa, com montanhas cobertas de neve, cascatas exuberantes e uma vegetação verde que contrasta com o azul das águas do país. Assim como para grande parte dos fiordes dessa lista, aconselho os diversos cruzeiros que navegam na região para uma rota majestosa no Fiorde de Geiranger.

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

5. Milford Sound, Nova Zelândia

De longe, o fiorde mais conhecido desse país insular do Oceano Pacífico. O Milford Sound hipnotiza fotógrafos, que se perdem na imensidão de suas montanhas. Sua grandeza é tanta, que o fiorde foi apelidado pelos maoris, nativos do país, como “Gigante de Pedras”. Seus enormes penhascos podem muito bem ser contemplados por um cruzeiro, que leva cerca de duas horas para completar o trajeto.

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

6. Fiorde Misty, Alasca

Considerado um mosaico natural de falésias, o Fiorde Misty possui uma localização privilegiada. De um lado, uma enorme floresta cresce nas encostas de suas montanhas e se torna habitat natural de ursos, lobos e alces. De outro, o rio, que invade o território norte-americano e abastece a região com abundante vida marinha.

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

7. Fiorde de Sogn, Noruega

Um gigante! O fiorde mais profundo da Noruega é também o terceiro maior do mundo em extensão – perde apenas para o Scoresby Sund, na Groelândia. Ao longo dos 204 km, o Fiorde de Sogn rouba a cena no coração da região norueguesa que concentra os fiordes. Em algumas regiões, pequenas montanhas ainda reúnem vilarejos, que tornam a visita pelas falésias ainda mais apaixonante.

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

8. Fiorde de Naeroy, Noruega

Na verdade, o Fiorde de Naeroy é um braço do admirável Fiorde de Sogn. Sua incrível beleza faz parte da lista de Patrimônios da Humanidade da UNESCO e seu ponto mais estreito possui apenas 250 metros, o que não impede a presença de pequenos povoados. Já imaginou abrir as janelas de casa e dar de cara com essa vista? Nada mal, não é?

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

9. Fiordes de Kenai, Alasca

Maravilhoso e selvagem ao extremo. Deparar-se com leões marinhos e baleias é uma experiência muito comum no Parque Nacional Kenai Fjords. Basta apenas escolher uma das várias agências que realizam cruzeiros no local. Um dos pontos fortes do passeio é a sensação de voltar à Era do Gelo ao percorrer as 40 geleiras do parque, habitat de várias espécies marinhas.

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

10. Fiorde de Lyse, Noruega

Não há nada mais empolgante do que chegar ao topo desse fiorde. Conhecido como Preikestolen, esse enorme rochedo pode até causar vertigem aos corajosos que insistem em subi-lo, mas é impossível negar que ele seja uma das melhores – se não a melhor – vista para fiordes do mundo. Geralmente, alguns jovens insistem em ficar bem na beirada da pedra, para retratos arrepiantes. Teria coragem?

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Sobre o blog

Para viajar sem sair de casa. O blog do Marcio Moraes apresenta lugares fascinantes para inspirar o imaginário do viajante. Por meio de dicas, o leitor viverá as melhores experiências dos destinos com restaurantes, hot spots e listas capazes de ampliar horizontes. Que tal entrar em contato com novas culturas e desbravar pelo mundo em um clique? Embarque nessa viagem!

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Blog do Marcio Moraes
Topo