Companhia de Viagem http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br O blog do Marcio Moraes apresenta lugares fascinantes para inspirar o imaginário do viajante. Mon, 29 May 2017 11:00:33 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Mônaco: tente sua sorte nos cassinos do país http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/29/monaco-tente-sua-sorte-nos-lindos-cassinos-do-pais/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/29/monaco-tente-sua-sorte-nos-lindos-cassinos-do-pais/#respond Mon, 29 May 2017 11:00:33 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=7104 Você sabia que Mônaco é o segundo menor país do mundo? A cidade-estado está localizada no sul da França e possui menos de dois quilômetros quadrados! Menor que ele, apenas o Vaticano, na Itália. A pequena nação, além de ser luxuosa, ostenta maravilhosos cassinos. Para sair do comum de Las Vegas, escolhi três lugares que te farão ter vontade de apostar em jogos de azar!

Casino de Monte-Carlo

Este é um dos símbolos de Mônaco. Inaugurado em 1863, o Casino de Monte-Carlo traz uma arquitetura clássica que te fará voltar no tempo enquanto aposta na sorte. As salas oferecem diferentes tipos de jogos tanto para os profissionais quanto para os amadores. A experiência fica ainda mais completa com o coquetel especial, os menus gourmets e as especialidades mediterrâneas.

Foto: MONTE-CARLO Société des Bains de Mer

Casino Café de Paris

Durante as 24 horas de todos os dias da semana, você pode apostar no Casino Café de Paris. O local tem sempre movimento em jogos que vão do Blackjack às máquinas caça-níqueis. O cassino dispõe de dois terraços e um bar restaurante, onde acontecem eventos semanais e torneios.

Foto: MONTE-CARLO Société des Bains de Mer

Monte-Carlo Bay Casino

Situado dentro do hotel de mesmo nome, o Monte-Carlo Bay Casino oferece aos jogadores cerca de 150 máquinas caça-níqueis. Todas funcionam sem a necessidade de tokens e possuem a tecnologia “ticket in, ticket out”. O melhor daqui é não ser preciso se hospedar nas acomodações do hotel e poder jogar a partir de qualquer valor.

Foto: MONTE-CARLO Société des Bains de Mer

E aí, está com sorte no jogo e azar no amor ou vice-versa?

]]>
0
Saiba onde se hospedar em uma casa na árvore http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/26/saiba-como-se-hospedar-em-uma-casa-na-arvore/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/26/saiba-como-se-hospedar-em-uma-casa-na-arvore/#respond Fri, 26 May 2017 11:00:42 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=7088 Toda criança já teve o sonho de ter uma casa na árvore. Aliás, até adultos cultivam essa vontade. Agora, mesmo que não seja possível construir uma no seu quintal, você pode ter a sensação de se hospedar em uma acomodação no topo de uma árvore. Com ajuda do pessoal do Hoteis.com, trouxe dez opções de hotéis ao redor do mundo que te farão sonhar alto!

1. Keemala
Kamala – Tailândia

A 40 minutos de Phuket, na Tailândia, está a piscina infinita flutuadora. A instalação no formato de ninhos de pássaros te proporciona a experiência de dar um mergulho na beira de um penhasco a 30 metros de altura.

Foto: Hoteis.com

2. Tree Hotel
Harads – Suécia

Em Harads, na Suécia, o Tree Hotel oferece ecocasas em árvores projetadas individualmente. Você pode dormir entre altos pinheiros, em um cubo de espelhos, em um ninho de passarinho ou, para os fãs de ficção científica, em uma nave alienígena.

Foto: Hoteis.com

3. Tsala Treetop Lodge
Plettenberg Bay – África do Sul

Localizado no coração do Garden Route, na África do sul, o refúgio oferece a experiência única de jantar em um deck suspenso em cima da floresta. O charme da hospedagem está no seu ar místico e selvagem!

Foto: Hoteis.com

4. Japamala Resort
Ilha Tioman – Malásia

No terreno mais baixo da floresta na ilha Tioman, está escondido o hotel que só pode ser acessado por barco. As casas na árvore dão vista ao lindo Mar da China Meridional.

Foto: Hoteis.com

5. Aqua Wellness Resort
El Gigante – Nicarágua

No cenário tropical da Costa Esmeralda, da Nicarágua, você acorda ao som de ondas quebrando e pássaros cantando. As vilas oferecem um deck que fica acima do chão da floresta, dando vista à selva.

Foto: Hoteis.com

6. Silky Oaks Lodge
Mossman – Austrália

Localizado ao longo do rio Mossman, da floresta Daintree e da Grande Barreira de Coral, está o Silky Oaks Lodge. Nesta acomodação é possível dar um passeio na floresta e visitar poços de água cristalina e uma praia de pantanal.

Foto: Hoteis.com

7. Daintree Eco Lodge & Spa
Lower Daintree – Austrália

Com o quarto que tem o estilo de casas de árvores, você ver de perto a essência da antiga floresta tropical de Daintree, em North Queensland. O destaque está nas banheiras de água quente rente às copas das árvores.

Foto: Hoteis.com

8. Azulik – Resort & Maya Spa
Tulum – México

Em Azulik, a diversão é balançar sob o mar turquesa de Tulum, em um esconderijo na praia. A 12 metros acima da floresta maia, o hotel oferece vista à paisagem direto de um balanço e de uma cama balinesa pendurada.

Foto: Hoteis.com

9. Four Seasons Resort
Papagayo – Costa Rica

Com vista para as praias da península Papagayo, na Costa Rica, o resort está a 97 metros acima do nível do mar e tem quartos que ficam alinhados às copas das árvores da floresta tropical.

Foto: Hoteis.com

10. Eureka Springs Treehouses
Eureka Springs – EUA

Este resort escondido em Eureka Springs, nos Estados Unidos, é uma acomodação temática. As casas, que foram construídas em troncos de cedro, oferecem quartos que têm como tema outros destinos, como Veneza, Nova Iorque, e Paris, ou até quartos fantásticos, como a caverna de Hobbit!

Foto: Hoteis.com

E aí, partiu realizar um sonho de infância?

]]>
0
Reino Unido: descubra quais lugares serviram de cenário para o filme “Rei Arthur” http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/24/reino-unido-descubra-quais-lugares-serviram-de-cenario-para-o-filme-rei-arthur/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/24/reino-unido-descubra-quais-lugares-serviram-de-cenario-para-o-filme-rei-arthur/#respond Wed, 24 May 2017 11:00:50 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=7074 Assistir a filmes nos faz viajar para outros países, culturas e épocas. “Rei Arthur: A Lenda da Espada”, longa-metragem que estreou este mês nos cinemas, narra a velha história sobre um jovem e corajoso rei de Londínio (onde hoje é Londres). Para a nossa sorte, as gravações aconteceram em paisagens de tirar o fôlego lá no Reino Unido. Trouxe alguns desses lugares para mostrar que é possível estar dentro de uma produção hollywoodiana!

Windsor Great Park, Inglaterra

Foto: iStock

Wye Valley e Floresta de Dean, Inglaterra

Foto: iStock

Foto: iStock

Terras Altas e Ilha de Skye, Escócia

Foto: iStock

Foto: iStock

Snowdonia, País de Gales

Foto: iStock

]]>
0
Top 5: melhores destinos para um passeio de bike http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/22/top-5-melhores-destinos-para-um-passeio-de-bike/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/22/top-5-melhores-destinos-para-um-passeio-de-bike/#respond Mon, 22 May 2017 11:00:10 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=7064 Quando viajamos para um lugar novo, podemos explorar as paisagens de diferentes formas e ângulos. Uma delas é por meio de um passeio de bike. Além de ser bom para a saúde, pedalar é pratico e sustentável. Porém, nem todos os destinos são próprios para a atividade: muitos locais possuem subidas íngremes e ainda não oferecem ciclofaixas ou ciclovias. Para os gostam do esporte, trouxe os cinco lugares mais bonitos que possuem a infraestrutura para pratica-lo.

l. Amsterdã, Holanda

É impossível falar de ciclismo sem citar Amsterdã. A capital holandesa é, justamente, conhecida por ser uma das melhores cidades para pedalar. Além de ser plana, ela possui uma rede incrível de ciclovias e ciclofaixas. Diferente de outros municípios, aqui, os carros não dominam! Os próprios amesterdameses optam pelo veículo de duas rodas e, para cada morador, são duas bicicletas.

Foto: dennisvdw/iStock

2. Copenhague, Dinamarca

Nosso segundo destino da Europa é a capital dinamarquesa, que também oferece aos cidadãos infraestrutura para se locomover de forma saudável e sustentável pela cidade. Não é para menos que o país registra um índice de IDH de 0,925 e uma expectativa de vida de 81,1 anos. Em Copenhague, há ainda a famosa ponte das bicicletas, conhecida como “Serpente das Bicicletas”.

Foto: AsianDream/iStock

3. Estrasburgo, França

Com mais de 500 quilômetros de ciclovias, Estrasburgo, na França, é outra metrópole que pode ser explorada em duas rodas. A cidade disponibiliza o aluguel de bicicletas não apenas a curto prazo, mas a longo prazo também. As paisagens da cidade são uma verdadeira aula de história, já que ela foi fundada em 1262.

Foto: Augustcindy/iStock

4. Malmö, Suécia

Com o objetivo de se tornar mais sustentável para seus cidadãos, a cidade sueca Malmö iniciou uma campanha pelo uso de bicicletas em vez de carros. Com isso, foram construídos bicicletários e ciclovias que facilitaram a vida dos ciclistas que moram na região.

Foto: Rolf_52/iStock

5. Sevilha, Espanha

Sevilha, na Espanha, é a melhor opção dentro do país para os que gostam de passear de bike. A Espanha em si não possui uma boa infraestrutura para a prática do esporte, porém, a cidade de Andaluzia vem investindo cada vez mais nesse meio de transporte.

Foto: kemaltaner/iStock

Ficou a fim de pedalar? Na hora de preparar a mala para algum destes destinos, não esqueça de incluir roupas confortáveis!

]]>
0
Passeios incríveis para fazer em Paris http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/19/passeios-incriveis-para-fazer-em-paris/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/19/passeios-incriveis-para-fazer-em-paris/#respond Fri, 19 May 2017 11:00:19 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=7046 Encontrar alguém que não tenha vontade de conhecer Paris é quase impossível. A Cidade Luz é charmosa, romântica e encantadora. Ou seja, é um sonho! Por isso, quando a visitamos, devemos aproveitar ao máximo. Para ajudar nessa missão, selecionei alguns passeios incríveis que precisam ser feitos numa viagem à cidade mais famosa da França!

1. Marie-Anne Cantin

Na gastronomia francesa, o destaque fica sempre para os seus excelentes queijos e vinhos. Por isso, fazer uma visita à Marie-Anne Cantin é imperdível. A melhor casa de queijos da cidade é parada frequente de personalidades, como a ex-primeira dama Carla Bruni, e abastece diversos restaurantes e até mesmo as reuniões presidenciais! A casa ainda oferece degustações, então não perca essa oportunidade!

Foto: Divulgação

2. Assistir a um espetáculo no Moulin Rouge

O cabaré Moulin Rouge é tão incrível que já foi cenário de dois filmes! O primeiro, que leva o nome da casa, foi dirigido por John Huston e lançado em 1952. Já o mais recente, “Moulin Rouge – Amor em Vermelho”, é do cineasta Baz Luhrmann e estreou em 2001 com Nicole Kidman e Ewan McGregor nos papeis principais. Agora, imagina só se sentir dentro de um filme?!

Foto: iStock

3. Visitar o George Pompidou Centre

Praticamente ao lado da estação de metrô Rambuteau, o George Pompidou Centre reúne o Museu Nacional de Arte Moderna (o maior da Europa), a Biblioteca de Informação Pública, um centro de pesquisas de música e muito mais! Além de tudo isso, o lugar tem uma arquitetura espetacular (que recebeu diversos prêmios, inclusive das mãos de Oscar Niemeyer), super moderna, e que passou recentemente por algumas reformas!

Foto: Divulgação

4. Conhecer o jardim suspenso Coulée verte René-Dumont

Próximo à Praça da Bastilha, o Coulée verte René-Dumont é um jardim suspenso que vale a pena ser visitado em uma tarde de sol. Criado em 1988, a passagem possui 4.5 km e 3,7 hectares de verde. O local sai do clichê turístico da Cidade Luz e, por isso, é mais frequentado por moradores da região.

Foto: David Lefran/Paris Info

5. Fazer um piquenique em frente à Sacré Coeur

Não da para perder a oportunidade de fazer um piquenique na capital francesa, não é mesmo? E para não ficar no comum dos jardins da Torre Eiffel, eu indico os que estão à frente da igreja Sacré Coeur. O motivo é porque a vista que você terá de Paris será incrível! E Montmartre, o bairro onde ela está localizada, além de ter sido um dos cenários para o filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” (2004), reúne artistas de rua e feiras artesanais.

Foto: iStock

6. Visitar o Instituto do Mundo Árabe

Além de ser uma obra arquitetônica espetacular, o IMA é uma viagem histórica imperdível. Com o objetivo de trazer mais representatividade para a cultura muçulmana na França, o espaço foi fundado no final dos anos 1980, e não demorou para virar um marco da cidade. Com exposições permanentes e itinerantes, e uma enorme biblioteca, é uma parada obrigatória não só para quem gosta de estudar história e religião!

Foto: Divulgação

7. Explorar o Perè-Lachaise

Mas calma, passear por um cemitério? Sim! O Perè-Lachaise é o cemitério mais famoso do mundo por algumas razões. Uma delas é a quantidade de personalidades que o escolheram como local de descanso: o escritor Oscar Wilde, o pintor Eugène Delacroix, o cantor Jim Morrison e o líder religioso Allan Kardec são apenas alguns. Além disso, são diversas obras de arte espalhadas por um dos maiores jardins de Paris!

Foto: Tixu Oty (CC BY-NC-ND 4.0)

8. Comer no Le Clarence

Recém-premiado com sua segunda estrela Michelin, o Le Clarence não conta só com uma localização ótima (na Av. Franklin D. Roosevelt com a Champs Élysees), como também tem uma história incrível: seu dono é o Príncipe de Luxemburgo! Com um mobiliário antigo, detalhes como lustres de cristal, um menu divino e vinhos de produção própria… Fica difícil não querer parar por lá.

Foto: Divulgação

E aí, você já conheceu algum destes pontos? Conte nos comentários quais são os seus lugares preferidos na cidade!

]]>
0
Texas além de Faroeste: 4 coisas para fazer no estado norte-americano http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/17/texas-alem-de-faroeste-4-coisas-para-fazer-no-estado-norte-americano/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/17/texas-alem-de-faroeste-4-coisas-para-fazer-no-estado-norte-americano/#respond Wed, 17 May 2017 11:00:40 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=7019 Texas nos lembra de cowboys, xerifes e filmes de Faroeste, certo? Sim, mas nem por isso o estado norte-americano não possui outras atrações modernas e divertidas. Há passeios na famosa Dallas ou na não tão famosa San Antonio. Aqui, reuni quatro coisas para fazer quando passar por lá. Vem ver!

  1. Fazer tour de barco

O River Walk é o charme da cidade de San Antonio. Às margens do rio, há um calçadão com restaurantes, lojas, quiosques, e guarda-sóis coloridos. Hoje com mais de 24 quilômetros, o River Walk foi criado nos anos 1920 com a função de reter a água da chuva. É indispensável o tour de barco!

River Walk. Foto: CrackerClips/iStock

  1. Ir a museus em Dallas

Ir a museus é sempre uma boa escolha, já que são interessantes e educativos ao mesmo tempo. Em Dallas, há os mais sérios como o Modern Art Museum, os mais sinistros como o The Sixth Floor Museum – que conta a historia do assassinato do ex-presidente JFK bem onde ele aconteceu –, e os mais divertidos como o Museu Nacional das Cowgirls.

The Sixth Floor Museum. Foto: DanielleCowden/iStock

  1. Assistir a jogos de diferentes esportes

Os amantes de esportes têm um prato cheio no Texas. O Dallas Cowboys é o maior time de futebol americano no estado, e o Dallas Stars de hóquei no gelo. Quem é curioso para assistir beisebol não pode perder o jogo do Texas Rangers¸ que está sediado em Arlington. E os que curtem mais basquete tem que ir a uma partida do Dallas Mavericks.

AT&T Stadium. Foto: wellesenterprises/iStock

  1. Visitar construções históricas

Construções grandiosas sempre fazem parte da história de uma cidade, estado ou país. Para a surpresa de muitos, em Austin, o Capitólio Estadual do Texas é maior que o de Washington DC, nos Estados Unidos. Outro lugar que vale a pena é o Alamo, em San Antonio, que foi uma expedição missionária espanhola cuja igreja virou museu.

Capitólio Estadual do Texas. Foto: Roschetzky/iStock

E aí, deu para ver que o Texas pode ser muito mais que filmes do velho oeste, né?

]]>
0
Espaço pessoal e público http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/16/espaco-pessoal-e-publico/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/16/espaco-pessoal-e-publico/#respond Tue, 16 May 2017 16:25:06 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=7026 A linha entre a esfera individual e coletiva tem se tornado cada vez mais tênue, mas a busca por uma harmonia na convivência social continua

Foto: Divulgação

Em um cotidiano em que, cada vez mais, se questiona qual o limite entre liberdade de expressão e desrespeito, é difícil conseguir expor uma opinião, ou até mesmo tomar uma atitude, sem ter medo de ser julgado.

Foto: iStock

Pelo mundo, já se veem mudanças na forma pela qual as pessoas se colocam. De questões que dividem a população, como intolerância religiosa, igualdade de gênero e homofobia, até temas mais presentes na nossa rotina, como dressing code em escolas e ambientes corporativos e o hábito de fumar em locais públicos. O importante, hoje em dia, é se expressar, mas sempre de forma respeitosa.

Foto: iStock

Nos Estados Unidos, por exemplo, alunos estão lutando cada vez mais para que as escolas sejam menos rigorosas em relação a códigos de vestimenta. Aqui no Brasil, já se vê colégios autorizando o uso de roupas independente de gênero. Garotos podem ir de saia, enquanto garotas podem vestir bermudas tipicamente masculinas. Usa-se o que se sente mais confortável.

Foto: Divulgação

Outra questão interessante é em relação aos fumantes. Embora cada vez mais condenados pela população não adepta ao tabagismo, eles hoje já são quase um bilhão no mundo. Um estudo da Universidade de Washington revelou o crescimento de 34% nas últimas três décadas. Ignorá-los não é apenas um equívoco do ponto de vista comercial, como também social.

Foto: iStock

No lounge da companhia área Emirates do aeroporto de Dubai, há um espaço exclusivo para fumantes, onde é autorizado o consumo de alimentos. Dessa forma, as pessoas que fumam têm acesso aos mesmos confortos que o restante dos passageiros, podendo ainda degustar de um bom cigarro ou charuto sem serem julgados.

Foto: Divulgação / Emirates

Os parques da Disney são outro caso de tolerância a este hábito. Localizada em Orlando, nos Estados Unidos, a zona de diversões possui áreas designadas aos visitantes que queiram fumar. Espalhados, esses locais permitem que todos continuem a brincadeira, sem ser preciso se separar durante o dia.

Foto: iStock

Em outras viagens, encontrar acomodações que possuam alternativas de lazer a fumantes pode ser um desafio, já que muitas instalações criam espaços de fumo cada vez mais isolados e de difícil acesso. Nesse caso, sites como o Airbnb, que colocam turistas em contato com pessoas dispostas a alugar casas ou quartos, podem ser uma opção viável. Ao terem alternativas de alojamentos que aceitam o cigarro, os tabagistas têm a chance de escolher hospedagens com comodidade e privacidade.

Foto: iStock

No entanto, empresas parecem estar, cada vez mais, se adaptando a uma comunidade plural. No setor hoteleiro, já existem redes criando departamentos e altos cargos voltados diretamente à diversidade. O grupo Marriott, por exemplo, estabeleceu recentemente a posição de Vice-Presidente de Diversidade. Tudo isso para criar zonas em que tanto os seus funcionários, quanto os seus visitantes, possam se sentir seguros.

Em meio a todas essas polêmicas, fica ainda mais raro encontrar empresas que tenham um ponto de vista claro e aberto em relação a esses temas. No mercado há mais de 100 anos, a Souza Cruz luta por uma sociedade mais democrática a ideologias divergentes. Seja criando programas sociais e sem fins lucrativos com o Instituto Souza Cruz, ou até mesmo promovendo palestras e debates. A empresa tem em sua missão a busca constante pela diversidade, atuando sempre com responsabilidade e transparência.

]]>
0
De paisagens naturais a construções: conheça três países com áreas preservadas pela UNESCO http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/15/de-paisagens-naturais-a-construcoes-conheca-tres-paises-com-areas-preservadas-pela-unesco/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/15/de-paisagens-naturais-a-construcoes-conheca-tres-paises-com-areas-preservadas-pela-unesco/#respond Mon, 15 May 2017 11:00:13 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=7010 O que Noruega, Barbados e Seychelles têm em comum? É fácil: todos eles têm patrimônios da humanidade. Reconhecidos pelo maior órgão de educação, ciência e cultura, a obtenção desse título mostra que aquele lugar tem uma importância única não só para a comunidade local, mas também para o mundo. Eu já mostrei alguns deles nesse post, mas hoje vamos embarcar nessa viagem por alguns dos mais belos patrimônios desses três países, que têm muitas diferenças, mas também muito em comum.

Inscrições Rupestres, Alta (Noruega)

Um verdadeiro museu a céu aberto. É assim que se pode definir Alta, cidade ao norte do país. Espalhados pelas encostas da região existem diversos desenhos rupestres, feitos entre 7000 e 2000 AC, e considerados patrimônios da UNESCO desde 1985! Existem visitas guiadas pelo museu, nas quais os guias contam um pouco da história das pinturas!

Foto: Divulgação

Røros (Noruega)

Patrimônio da humanidade desde 1980, a comuna no centro da Noruega não é conhecida apenas pelos seus passeios de trenós e por ser a inspiração para o filme Frozen (Disney). Detentor de um certificado de destino sustentável, milhares de turistas visitam o local todos os anos, que parece ter saído de um conto de fadas.

Foto: Divulgação

Parque Nacional Vallée de Mai (Seychelles)

Localizado na ilha Praslin, uma das 115 do arquipélago que forma Seychelles, o parque é conhecido principalmente pela preservação de sua fauna e flora local, e por ser a casa original do coco de mer, a maior semente do mundo, e palmeiras de mais de 40 metros de altura! Além disso, diz a lenda que a localização original do Jardim do Éden era no próprio Vallée de Mai.

Foto: Divulgação

Atol de Aldabra (Seychelles)

Lar de 150 mil tartarugas gigantes (a maior população delas!), o Atol de Aldabra é um dos mais afastados do arquipélago, e um dos maiores atóis de corais do mundo. Por ser tão afastado das outras ilhas, sua biodiversidade quase não sofreu de interferência humana, e é considerado um laboratório natural para cientistas.

Foto: Africanway

Bridgetown (Barbados)

A cidade de Bridgetown, capital da ilha de Barbados, foi nomeada patrimônio da humanidade por conta de sua arquitetura. Típica das construções britânicas dos séculos 17, 18 e 19, a cidade está extremamente bem preservada, e cheia de histórias para contar da época da colonização! Ah, e se você resolver fazer compras pela cidade fica a dica de sempre levar seu passaporte junto! Com ele, você não paga impostos na compra de produtos importados.

Foto: Divulgação

E aí, já decidiu a sua próxima parada?

]]>
0
Visite o Japão que está dentro de São Paulo http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/12/visite-o-japao-que-esta-dentro-de-sao-paulo/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/12/visite-o-japao-que-esta-dentro-de-sao-paulo/#respond Fri, 12 May 2017 11:00:00 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=6995 Quem teve o prazer de conhecer o Japão sabe como o lugar é maravilhoso e repleto de cultura. O país do sushi, das cerejeiras e do sumô está na Ásia, bem longe de nós geograficamente, mas isso não significa que é impossível conhece-lo dentro do Brasil. Isso, porque a imigração japonesa, que começou em 1908, deixou seus descendentes e sua influência por vários cantos brasileiros, inclusive em São Paulo. Aos que também admiram os costumes nipônicos, escolhi cinco desses lugares na capital paulista que te ajudam a explorá-los.

Foto: Gabriel Inamine

Japan House

Inaugurada em 6 de maio, a Japan House está localizada na Avenida Paulista, 52, próximo à estação de metrô Brigadeiro. Além da capital paulista, a JH está presente em Los Angeles, nos Estados Unidos, e em Londres, na Inglaterra. O local propõe o intercambio entre o Japão e o resto do mundo por meio de shows, workshops, artes tradicionais, gastronomia e tecnologia. Com entrada gratuita, o centro cultural permanece aberto de terça-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h.

Foto: Divulgação

Pavilhão Japonês

O Pavilhão Japonês foi um presente do governo japonês à cidade de São Paulo pelos seus 400 anos, em 1954. Localizado dentro do Parque Ibirapuera, na Zona Sul, o lugar foi inspirado no Palácio Katsura, em Quioto. Além de um jardim com plantas e árvores ornamentais, o pavilhão também abriga exposições de cerâmicas e outros objetos oriundos da cultura. O ingresso inteiro custa R$ 10, e o funcionamento acontece na quarta, sábado, domingo e feriado, das 10h às 12h e das 13h às 17h.

Foto: Reprodução/Parque Ibirapuera

Museu da Imigração Japonesa

O Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil pode ser visitado na Rua São Joaquim, 381, no bairro da Liberdade. Parte da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (BUNKYO), o museu possui um acervo de mais de 97.000 itens que pertenceram aos imigrantes, como documentos, quimonos, utensílios domésticos… Aberto de terça a domingo, das 13h30 às 17h, o museu cobra R$ 10 pela entrada.

Foto: Divulgação/Bunkyo

Ruas do bairro da Liberdade

O bairro da Liberdade, que fica no centro paulistano, é uma das regiões mais conhecidas por quem se identifica com a cultura nipônica. Por isso, é justamente lá que o Museu da Imigração Japonesa se encontra. Além de ter características típicas, como os famosos postes de luz suzuranto, o bairro conta com diversas lojas e restaurantes que envolvem este tema. Não foram só os japoneses que se instalaram no local, mas também imigrantes de outras nacionalidades, como chineses e coreanos.

Foto: alffoto/iStock

Lojas Daiso

A rede japonesa Daiso é o paraíso para os amantes de objetos japoneses e outras quinquilharias. Com sete unidades na capital paulista, a marca vem conquistando os brasileiros com a diversidade de produtos típicos do Oriente. Itens de papelaria, utensílios para casa e para trabalho vêm em embalagens em japonês para dar a sensação de uma loja do Japão.

Foto: Divulgação/Daiso

Bônus: 11º Bunka Matsuri – A Festa da Cultura Japonesa

Nos dias 20 e 28 de maio, acontece a 11º Bunka Matsuri – A Festa da Cultura Japonesa. Organizado pelo Bunkyo, o evento promove atividades que envolvem a cultura Nikkei, como a cerimônia do chá, dança folclórica, horóscopo oriental, mangá e origami. A festa acontece tanto no Pavilhão Japonês, quanto na sede do Bunkyo.

Foto: Gabriel Inamine

]]>
0
Europa além de Greenwich: descubra as euro-asiáticas Armênia e Geórgia http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/10/europa-alem-de-greenwich-descubra-as-euro-asiaticas-armenia-e-georgia/ http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/2017/05/10/europa-alem-de-greenwich-descubra-as-euro-asiaticas-armenia-e-georgia/#respond Wed, 10 May 2017 11:00:31 +0000 http://companhiadeviagem.blogosfera.uol.com.br/?p=6959 Quando se fala em Europa, vem direto na nossa cabeça Portugal, Espanha, França, Itália, Inglaterra, Alemanha… Mas o continente conta com mais de 50 países, todos cheios de história para contar e muitos deles localizados depois do Meridiano de Greenwich, ou seja, no Oriente. Várias empresas, como a Latitudes, já oferecem roteiros especiais para essas regiões, então eu separei hoje para você dois destinos imperdíveis e pouco conhecidos: as euro-asiáticas Armênia e Geórgia. Vamos nessa?

ARMÊNIA

Entre o mar Negro e o mar Cáspio, está Armênia. Com igrejas, mosteiros e monastérios, a região nos leva de volta aos anos antes de Cristo e às famosas histórias bíblicas. Entre os continentes europeu e asiático, o país da região montanhosa da Eurásia faz fronteira com a Turquia. No Monte Ararat, que hoje pertence ao território turco, é onde se acredita que a Arca de Noé encalhou após o dilúvio.

Na cidade de Vagharshapat, é possível ver a Catedral de Etchmiadzin, a Igreja Apostólica que foi construída no século IV e listada como Patrimônio Mundial pela Unesco. Além de antigas edificações, o país impressiona pela beleza natural, repleta de montanhas e lagos.

Catedral Etchmiadzin, na Armênia. Foto: takepicsforfun/iStock

Monte Ararat, na Armenia. Foto: YuliaGr/iStock

GEÓRGIA

Logo acima da Armênia, está Geórgia. Aqui, os castelos tomam conta do cenário. Pelo país, dá para perceber a influência tanto de regiões europeias, como Rússia e Turquia, quanto asiáticas, como Cazaquistão, o mais próximo. Por este e outros motivos, existe a dúvida “esses países estão na Europa ou na Ásia?”. Bom, a cultura e a língua se aproximam mais do continente ocidental.

A capital Tbilisi proporcionou à região uma rica contribuição para a arquitetura local. Ao longo dos anos, casas antigas se misturam às mais novas com equilíbrio e harmonia no centro histórico. A fortaleza de Narikala, que tem 17 séculos de idade, é uma das atrações que mais valem a pena visitar.

Tbilisi, na Geórgia. Foto: saiko3p/iStock

Castelo Narikala, na Geórgia. Foto: Ozbalci/iStock

Agora, que tal trocar aqueles destinos clichês na Europa por um destes? Garanto que você não vai se arrepender!

]]>
0