Companhia de Viagem

Arquivo : america central

Conheça o avião que virou uma suíte de hotel
Comentários Comente

Marcio Moraes

Viajando pela Costa Rica descobri uma hospedagem que vale o post. O Hotel Costa Verde, perto da cidade Quepos, resgatou um Boeing 727 de 1965 completamente abandonado no Aeroporto Internacional Juan Santamaría, o principal do país, a 18 quilômetros de San José. O avião costumava ser operado pelas companhias aéreas South Africa Air e Avianca Airlines.

Avião que virou hotel na Costa Rica

Divulgação

 Em 2008, a aeronave foi cuidadosamente desmontada e transportada por cinco caminhões até o Parque Nacional Manuel Antônio, dentro do Hotel Costa Verde, onde foi reconstruída. Então, foi transformada na suíte mais especial do hotel, em cima de um suporte de mais de 15 metros de altura.

Dormitório de avião que virou hotel na Costa Rica

Divulgação

O apartamento é composto por dois quartos, dois banheiros, cozinha e sala de jantar. Na asa direita, um deck de madeira tem vista para a floresta e o mar, a vista perfeita para acompanhar o pôr do sol  e uma boa taça de vinho.

Avião que virou hotel na Costa Rica

Divulgação

Para manter o clima rústico, o interior da suíte é de madeira, e os móveis feitos à mão vieram todos da Indonésia. Da janela, pra completar, tive a sorte de vislumbrar macacos e tucanos na floresta. É o lugar perfeito para desfrutar da natureza costarriquenha!

Interior de avião que virou hotel na Costa Rica

Divulgação


Cinco destinos que todo chocólatra deve apreciar
Comentários Comente

Marcio Moraes

Caro viajante,

Um dos doces mais consumidos no mundo é o chocolate, “alimento dos deuses” descoberto há mais de 3000 anos pelos povos que habitavam a região do México. Para você ter uma ideia, 790 mil toneladas da iguaria foram consumidas em 2013 apenas no Brasil.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A paixão pelo chocolate é tão grande no mundo todo que especialistas preveem a possível extinção do cacau, matéria-prima do doce, para 2020, caso o consumo continue em plena ascensão.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Mas, enquanto há chocolate, há esperança. Nada mais justo, portanto, do que reunir aqui alguns destinos que são famosos por produzirem chocolates memoráveis. Quer ser minha companhia nessa doce jornada?

Oaxaca – México

Se você quiser fazer uma viagem pela história do chocolate, a primeira parada deve ser Oaxaca, charmosa cidade mexicana que herdou – e transformou – o consumo do cacau de seus antepassados.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

De fato, a cultura da cidade está intimamente ligada ao ingrediente. Oaxaca é repleta de casas de chocolate, que produzem os doces com grãos cultivados localmente. Não deixe de experimentar o famoso chocolate quente, que pode ser incrementado com pimenta e outras especiarias, e o Mole Poblano, um molho bastante usado na culinária mexicana que leva chocolate na receita.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A Rua Francisco Xavier Mina, perto do Mercado Central, é a verdadeira meca do chocolate. Ali, os maiores produtores do país, como Mayordomo e La Soledad, mostram o processo de fabricação dos chocolates e seus derivados para quem quiser ver.

Zurique – Suíça

Se os povos da América Central foram responsáveis por descobrir e cultivar o cacau, foi na Europa que o chocolate se transformou no doce que conhecemos e amamos. Os suíços tiveram a genial ideia de incluir o leite na receita e o que já era bom ficou irresistível.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Em Zurique, é possível fazer um tour guiado pela centenária fábrica da Lindt & Sprüngli, uma das marcas de chocolate mais renomadas do mundo, com direito à degustação dos doces e comprinhas com preços mais acessíveis. Outro point da cidade é a doceria Sprüngli, fundada em 1836.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Se a ideia for conhecer o chocolate suíço para além das marcas mais famosas, vale a pena conferir a Confiserie Honold, fundada em 1905, que oferece mais de 50 variedades de chocolates e trufas de primeira classe.

Guayaquil – Equador

Até o início do século XX, o Equador era o maior exportador de cacau do mundo. Hoje, ocupa a primeira posição na exportação de grãos especiais, de altíssima qualidade, que abastecem o mercado dos chocolates finos.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Em Guayaquil, cidade ao sul do Equador, é possível acompanhar toda a linha de produção do chocolate, assim como fazer um passeio pelas plantações de cacau que cobrem a região. Para provar a iguaria local, recomendo uma visita ao restaurante La Pepa de Oro, que serve um dos melhores chocolates quentes do país e cuja decoração remonta a história do cacau no Equador.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Outra atividade para os chocólatras é um tour pela Rota do Cacau, que passa pelas províncias de Guayas, Manabí e Los Rios, principais produtoras de cacau no país. Nesse passeio, os visitantes aprendem sobre o processo de preparação dos grãos para exportação, desde a fermentação e secagem até a embalagem.

Bruxelas – Bélgica

Verdade seja dita: o chocolate belga é um dos mais amados do mundo! E isso não acontece à toa. A Bélgica é daqueles lugares que respira chocolate, com uma produção anual de 170 mil toneladas do doce em mais de 12 fábricas, além de 16 museus e mais de 2000 lojas especializadas no doce. E Bruxelas, como boa capital, consegue reunir o que há de melhor no assunto.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A parada indispensável é a Praça Grand Sablon, onde as grandes lojas estão. Neuhaus, Godiva, Leonidas, Wittamer e Pierre Marcolini são alguns exemplos do que se pode encontrar por lá. Quem quiser se aprofundar no assunto pode visitar o Choco-Story, museu sobre chocolate que fica pertinho da praça.

10

Foto: Reprodução

Os belgas consomem anualmente 8,5kg de chocolate por pessoa e estão em 5º lugar no ranking dos mais chocólatras. Por que será?

Colônia – Alemanha

Quem pensa que o talento dos alemães se restringe a cerveja está muito enganado. Além de ser o segundo país que mais consome chocolate, a Alemanha também domina a arte de produzir a iguaria.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A cidade de Colônia, que fica a 600 quilômetros de Berlim, abriga o World of Chocolate Museum, que conta a história do alimento e sua relevância cultural em uma exposição bem interativa e dinâmica. Dentro do museu há ainda uma escola, dirigida pela marca suíça Lindt, na qual os visitantes aprendem a arte do chocolate com o mestre chocolatier do museu.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Embora as marcas Milka e Kinder Schokolade sejam as mais famosas da Alemanha, Colônia oferece outras opções deliciosas, como a Stollwerck Chocolate Company, que produz chocolates finos desde 1839, e a Coppeneur, fabricante de chocolates artesanais.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Espero que este post abra seu apetite – de chocolates e viagens!

Abraço e até a próxima!


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>