Companhia de Viagem

Arquivo : hostel

Hostel funciona em casa na árvore a 200 metros do chão
Comentários Comente

Marcio Moraes

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A Nicarágua tem um hostel bem diferente: uma casa na árvore! A construção está na Reserva Natural Volcán Mombacho, pertinho do vulcão homônimo. Para chegar ao Treehouse, um ônibus gratuito sai do Parque Central de Granada e leva os hóspedes até a área do hostel em menos de 20 minutos. A partir daí, só há um jeito de acessar a casa, a uma altura de 200 metros do chão: atravessando uma longa ponte suspensa de metal de 60 metros de comprimento. Ela só é presa por cima, sem vigas de sustentação. Mas, por ser de metal e bem fechada dos lados, não tive medo de atravessar.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Treehouse, como o próprio nome sugere, realmente parece uma enorme casa na árvore, o sonho de qualquer criança. Do lado de fora já dá para ver várias redes e um balanço. O lugar me lembrou um acampamento, todo de madeira, com beliches, o clima familiar e grandes mesas de piquenique, onde todos se sentam juntos durante as refeições (que incluem opções vegetarianas). Dá para se hospedar em quartos individuais e coletivos, como sempre, mas o diferencial é poder acampar em barracas ou até dormir nas redes – neste caso, você pode guardar os pertences importantes em cofres.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Para aproveitar a natureza estonteante da região, o hostel organiza trilhas, escaladas, tirolesas — hóspedes têm desconto — e leva seus visitantes para nadar em lagos “secretos” da floresta, apenas acessíveis com jipes 4×4. Um dos locais de mergulho é parte da Laguna de Apoyo e o outro é na região vulcânica Aguas Agrias.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Treehouse também é um ótimo ponto de partida para conhecer o vulcão Mombacho, a apenas 30 minutos de distância à pé, ou 5 de mototáxi. O vilarejo Catarina, famosíssimo no país por sua cerâmica, também fica pertinho, só a 15 minutos de carro.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Da varanda do hostel, a vista do pôr-do-sol é de tirar o fôlego. E os macacos que rodeiam a área fazem a alegria dos turistas. Quando chega a noite, os visitantes aproveitam o barzinho.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Às quartas, a festa Weird Wednesday (ou quarta-feira estranha) empresta fantasias e roupas malucas aos convidados. Às quintas, rola música ao vivo, e quem se arriscar no microfone ganha um drink. Às sextas e sábados, é por conta de DJs embalar os jovens noite adentro. Não precisa estar hospedado no Treehouse para participar das baladas, é só chegar. Mas, se você estiver pensando em dormir lá, tem que estar no clima da farra, já que rola música alta até tarde. Para quem gosta, é o melhor dos dois mundo: dá para descansar nas redes de dia e festejar o resto da noite.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


Hostel-prisão e balada nos trilhos: veja outras reformas inusitadas
Comentários Comente

Marcio Moraes

Já ouviu falar em retrofit? A prática consiste em reformar um espaço para torná-lo algo completamente diferente, mantendo as formas ou características originais. O legal é que várias construções abandonadas ganham vida com as transformações e se tornam muito mais interessantes por terem sido reinventadas. Já pensou que legal levar seus filhos para brincar em um antigo avião? Ou se hospedar em um castelo de verdade?

Confira seis destinos incríveis e veja como as histórias só os tornam ainda mais charmosos!

1- Forte virou hotel de luxo (Solent, Reino Unido)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Forte de Spitbank, em Solent, servia como proteção à costa sul do Reino Unido no século 19, mas foi abandonado em 1963. O espaço passou por uma reforma e, em 2009, foi lançado um hotel de luxo com nove suítes, piscina, bar, spa e sala de recreação. O estilo vitoriano, as paredes com 4,5 metros de espessura e o nome do lugar permaneceram os mesmos. Entre as atividades do Solent Fort há pesca, spa, jogo de tiro a laser em um labirinto e caça tesouro para todas as idades.

2- Fábrica virou parque de diversões (Saint Louis, Estados Unidos)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Em Saint Louis, cidadezinha de Missouri, uma fábrica abandonada foi adaptada para se tornar o City Museum, uma mistura de parque infantil e exposição arquitetônica de objetos ressignificados. Os 20 artesãos comandados pelo escultor Bob Cassilly transformaram pontes, chaminés, guindastes, ônibus escolares e até aviões abandonados em brinquedos e obras de arte surrealistas. O destino, aberto desde 1997, é uma ótima opção para passeios em família. Dá até para passar a noite lá, nas chamadas SumblerCity overnights. Crianças e adultos podem acampar no espaço, participar de atividades noturnas, com acesso ao parque todo, e curtir um buffet de pizzas e de café da manhã no dia seguinte.

3- Prisão virou hostel (Liubliana, Eslovênia)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Esta prisão militar ficou aberta entre 1882 e 1991 em Liubliana, na Eslovênia. A prefeitura planejava demolir o edifício quando diversos artistas do mundo todo se juntaram com o propósito de renová-lo. Eles lutaram e ocuparam a construção, resistindo à falta de energia e água provocada pelas autoridades, até conseguirem os documentos necessários para criar o Hostel Celica. A obra foi concluída em 2003 e, ao todo, mais de 80 artistas transformaram e decoraram 20 celas. E as áreas comuns foram transformadas em uma galeria de arte.

4- Trilhos de trem viram balada (Mooca, São Paulo)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os trilhos e vagões abandonados na Mooca, em São Paulo, deram espaço a um empreendimento surpreendente, um espaço cultural cheio de eventos. Chamado Nos Trilhos, o lugar bomba com baladas, feirinhas, shows e festas específicas — até arraiais. Para chegar nas festas é preciso embarcar em uma Maria Fumaça de 1922 na histórica Rua Visconde de Parnaíba. O mais legal é que parte da renda arrecadada é destinada a preservar e melhorar as linhas ferroviárias paulistanas.

5- Alojamento para soldados virou spa (Califórnia, Estados Unidos)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A construção onde fica o Fairmont Sonoma Mission Inn & Spa, na Califórnia, foi um alojamento para soldados e marinheiros durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1945, o espaço foi desocupado e deu lugar a um hotel. Mais tarde, em 1981, o empreendimento de Sonoma ganhou um spa de 3.700 metros quadrados e até hoje atrai turistas de todos os lugares do mundo. Além de ser famoso pelo restaurante Santé, com uma estrela do Guia Michelin, e por seu enorme campo de golf, há uma fonte de água termal natural com propriedades medicinais. Que tal mergulhar em uma piscina sulfurosa?

6- Castelo virou hotel (Lisboa, Portugal)

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Uma hospedagem com gostinho de conto de fadas. No espaço onde se situa o Castelo Belmonte, em Lisboa, havia três torres muito antigas — não se sabe ao certo quando foram edificadas. Em 1420, elas foram transformadas em casa e, em 1640, uma nova reforma foi feita e a construção se tornou um castelo, reconhecido como Monumento Nacional em 1910. Após uma longa restauração de 6 anos, o luxuoso hotel Palácio Belmonte foi lançado em 2000, com belos jardins, fontes romanas e uma biblioteca incrível. O toque especial fica por conta de uma piscina de mármore preto. Para completar o clima clássico, as suítes ganharam nomes de grandes portugueses, como o navegador Fernão de Magalhães e os escritores Gil Vicente, Alberto Caeiro e Ricardo Reis — os dois últimos são heterônimos de Fernando Pessoa.


Conheça o maior hostel em contêineres do mundo!
Comentários Comente

Marcio Moraes

Olá amigo,

Eu não costumo falar sobre hostels por aqui, mas este merece atenção especial! Isso porque a hospedagem foi construída em contêineres! Você já ouviu falar do Tetris Hostel, em Foz do Iguaçu, no Paraná?

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Todos sabem que os famosos albergues atraem os viajantes mais descolados do mundo e fazem sucesso pela descontração e modernidade de seus serviços. O conceito deste, no entanto, impressiona quando o assunto é design e sustentabilidade. Considerado o maior hostel em contêineres marítimos do mundo, o Tetris é composto por 15 módulos e possui mais de mil metros quadrados!

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A capacidade total é para até 70 hóspedes em quartos privativos ou compartilhados, mas a estrutura ainda oferece piscina, cozinha, jardim interno, bar, estacionamento e deck com vista para o pôr- do sol. Demais, não?

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Além disso, o local ainda tem outros hábitos sustentáveis como a captação da água da chuva para os banheiros e um teto verde, que estabiliza a temperatura interna. Um sistema de aquecimento solar também mantém a piscina morninha!

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Tetris Contêiner Hostel foi inspirado no jogo russo de mesmo nome, criado em 1.984, cujo objetivo é empilhar caixas. Com design moderno e colorido, o lugar ainda oferece café da manhã, ar condicionado em todos os quartos, wi-fi de fibra ótica, roupas de cama e recepção bilíngue 24 horas.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

Visite o site: www.tetrishostel.com.br e divirta-se!

Ótima viagem!


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>