Companhia de Viagem

Cinco melhores destinos para amantes de café
Comentários Comente

Marcio Moraes

Caro amigo,

Sabe aquele aroma que domina o ambiente e nos traz lembranças nostálgicas, do tempo que nossas avós preparavam o lanche da tarde em um domingo chuvoso? O café, segunda bebida mais consumida no Brasil, é responsável por inspirar tais recordações. Concorda?

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A paixão pelo café – coado, espresso, pingado, carioca, descafeinado – nos leva a explorar o mundo sob o pretexto de encontrar os destinos que mais dominam, com maestria, a arte de preparar a bebida. Vamos conhecê-los?

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Viena, Áustria

O café é uma parte tão importante da cultura vienense que as cafeterias, conhecidas como kaffehaus, estão listadas como Patrimônio Imaterial da Unesco. E sendo uma das menores capitais da Europa, a cidade pode oferecer uma experiência verdadeiramente intimista nos cafés, sempre elegantes e, ao mesmo tempo, aconchegantes. Os lugares mais famosos de para provar o espresso de Viena são Cafe Central, Landtmann, Griensteindl e Demel.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Seattle, Estados Unidos

Sabe de onde vem o fenômeno Starbucks? Isso mesmo, de Seattle! E, embora muita gente considere os cafés da “sereia verde” como os melhores, digo que a cidade americana tem muito mais potencial do que o fast-coffee. Seattle respira café. A vida social da cidade está ligada, invariavelmente, ao consumo da bebida. Não à toa que existem tantas opções de cafeterias na cidade. Vale a pena conhecer o Cafe Allegro, primeiro a ser estabelecido em Seattle, em 1975.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Roma, Itália

Como não incluir um espresso a la italiana na lista? Afinal, as tão usadas expressões latte, cappucino e mocha não vêm da Itália à toa, não é? Muito embora o país tenha mais fama do que merece quando o assunto é café, Roma prova que a reputação tem fundamento. O centro histórico concentra as cafeterias mais agradáveis, nas quais é possível passar um bom tempo apreciando um clássico italiano: o espresso.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Reykjavik, Islândia

O povo escandinavo é o segundo maior consumidor de café do mundo, atrás apenas dos holandeses. Porém, só há 25 anos começaram a surgir lugares especializados na bebida, que se concentraram, principalmente, em Reykjavik, na Islândia. Hoje, qualquer quarteirão da cidade tem sua pequena cafeteria. E cada uma delas reserva uma surpresa mais agradável.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Melbourne, Austrália

A segunda maior cidade australiana coleciona muitas qualidades, dentre as quais a de servir excelentes cafés. Melbourne recebe, inclusive, uma exposição anual voltada para a bebida. A cultura do café é extremamente forte nesta cidade moderna e vibrante. Recomendo uma visita à cafeteria Sonido, que fica no bairro de Fitzroy, famoso por reunir ótimos espaços com baristas conceituados.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Bom, e depois desse passeio pelas melhores cidades para amantes do café, devo admitir que, para mim, o melhor mesmo vai continuar sendo aquele cafezinho coado pela vovó.

Um abraço!


O que você não pode deixar de comer em cada região do país
Comentários Comente

Marcio Moraes

Caro amigo,

Dei uma volta por todos os cantos do Brasil e escolhi uma cidade de cada região do país para mostrar a diversidade gastronômica que podemos encontrar em território nacional. São tantos ingredientes, sabores e aromas regionais, pouco conhecidos dos brasileiros, que merecem destaque. Outros tantos se tornaram verdadeiras paixões nacionais e estão na mesa – e no coração – de todos.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Norte – Manaus

Esqueça feijoada, caipirinha e churrasco. O Norte oferece um passeio pelos sabores mais exóticos do País como, por exemplo, o Tacacá, feito com caldo de tucupi (extraído da raiz da mandioca), goma de tapioca, camarão e folhas de jambu. Nas padarias, a pedida é o X-Caboquinho, sanduíche que leva queijo coalho, tucumã e banana em um pão francês. Para acompanhar o lanche, um suco de cupuaçu, graviola e teperabá.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Nordeste – Salvador

Entre os quitutes típicos da Bahia, o acarajé está no topo da lista. O famoso bolinho de feijão fradinho é frito no azeite de dendê. No candomblé, é ofertado aos orixás. Nas ruas, é vendido pelas baianas, trajadas com saias engomadas, blusas de renda, colares e um lenço na cabeça. Moqueca, bobó de camarão, vatapá (feito com camarão seco, leite de coco, azeite de dendê, castanha de caju e pão) e cocada também estão sempre à mesa.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Centro-oeste – Brasília

Durante a construção desta cidade de planejamento progressista, muitos trabalhadores de todo o país migraram para a futura capital com esperança de melhoria de vida. Os candangos, como são conhecidos tais migrantes, ajudaram a formar a gastronomia brasiliense atual. A tradicional receita de carne de sol com arroz, paçoca, mandioca, feijão-de-corda, manteiga de garrafa e cheiro-verde é símbolo desta mistura cultural e pedida certa para quem visita a capital do Brasil.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Sudeste – Vitória

A moqueca capixaba, símbolo da gastronomia de Vitória, é alvo de disputa com a receita baiana de mesmo nome. O embate gerou o slogan “moqueca só capixaba, o resto é peixada”. De qualquer maneira, a receita de Vitória não leva dendê nem leite de coco e é preparada em uma panela de barro feita artesanalmente. Outros quitutes típicos da capital do Espírito Santo são caranguejada e muma de siri.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Sul – Porto Alegre

Bah! Churrasco e chimarrão são símbolos tão fortes do sul do País que é impossível não comentar. Você sabia que o prato mais querido dos brasileiros originou-se no século XVII? Pois é. Na época, a principal fonte de renda dos gaúchos vinha da venda do couro e sebo do gado, e o que sobrava era assado em grandes buracos abertos no chão. Bacana, não é? A bebida, por sua vez, é legado da cultura indígena da América do Sul.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Deu água na boca, não é?

Bom apetite e até a próxima!


Vamos conhecer a casa de Sherlock Holmes em Londres?
Comentários 5

Marcio Moraes

Caro viajante,

A Baker Street soa familiar para você? Elementar, meu caro! O endereço londrino é o lar do detetive mais amado de todos os tempos: Sherlock Holmes, herói de várias gerações. Eu sou fã, e você?

Foto: The Sherlock Holmes Museum

Foto: The Sherlock Holmes Museum

E, embora o detetive seja apenas um personagem criado por Sir Arthur Conan Doyle, em 1887, seu endereço existe de verdade! E é lá, na Baker Street, uma área residencial de classe média, que Sherlock Holmes ganhou um museu.

Foto: The Sherlock Holmes Museum

Foto: The Sherlock Holmes Museum

A casa, construída em 1815 no estilo vitoriano, reproduz o ambiente no qual Holmes e o Dr. Watson viviam, conforme as descrições de Doyle. Anotações, quadros, lupas, cachimbos, boinas e até os próprios personagens – em bonecos de cera – podem ser encontrados no museu. Um prato cheio para quem passou a infância imaginando o universo de Sherlock Holmes.

Foto: The Sherlock Holmes Museum

Foto: The Sherlock Holmes Museum

O museu, mantido pela ONG Sherlock Holmes Society of England, fica aberto todos os dias e cobra uma módica tarifa de 6 libras por pessoa. Porém, aconselho você a levar uma graninha extra para gastar na lojinha, que oferece várias opções de souvenires bem interessantes. O que eu mais gostei foi o chapéu quadriculado, é claro.

Foto: The Sherlock Holmes Museum

Foto: The Sherlock Holmes Museum

Então, você já sabe. Quando estiver em Londres, visite Sherlock Holmes na Baker Street.

 

Grande abraço,


Que tal conhecer as vinícolas mais famosas da Austrália?
Comentários Comente

Marcio Moraes

Meu amigo,

Hoje, venho do outro lado do mundo para falar sobre vinho. É que estou realmente fascinado pela produção da Austrália, que – pasmem! – possui mais de 2400 vinícolas espalhadas por 65 regiões do país. E os números não param por aí, meu caro. São mais de 100 variedades de uvas e mais de 30 milhões de taças de vinho australiano consumidas diariamente no mundo. Impressionante, não?

Foto: Reprodução

Foto: Australia Tourism

Que tal dar uma volta pelas três principais regiões vinícolas da Austrália?

Foto: Reprodução

Foto: Australia Tourism

BAROSSA VALLEY

Localizada no sul da Austrália, uma das mais refinadas regiões vinícolas do país, estabelecida em 1842 por imigrantes europeus, ainda mantém o charme do velho mundo.

Foto: Reprodução

Foto: Australia Tourism

Ali você pode encontrar cerca de 150 vinícolas e adegas que cultivam, principalmente, a uva shiraz. Barossa Valley também é renomada pelos alimentos artesanais e restaurantes premiados. Minha dica? Passeie pela rota de bicicleta e descubra as melhores adegas da região.

Foto: Reprodução

Foto: Australia Tourism

MARGARETH RIVER

Mais famosa região vinícola do oeste australiano, Margareth River apresenta uma mistura interessante entre vinhedos e praias de surf, além de florestas e cavernas.

Foto: Reprodução

Foto: Australia Tourism

Com mais de 120 produtores de vinho na região, Margareth River oferece cabernet sauvignon, chardonnay, semillon, sauvignon blanc, merlot e shiraz. Prepare-se para experiências gastronômicas marcantes em cada vinícola visitada.

Foto: Reprodução

Foto: Australia Tourism

HUNTER VALLEY

Cerca de 250 quilômetros ao norte de Sidney fica a região de Hunter Valley, a mais antiga da Austrália, fundada na década de 1820. Além de abrigar mais de 150 adegas, Hunter Valley é conhecido pelas escolas de culinária, galerias de arte, retiros de spa e campos de golfe. E embora o vinho semillon seja o ícone da região, ali também há shiraz, chardonnay, cabernet sauvignon e verdelho. Não deixe de conhecer o museu do histórico Vinhedo Audrey Wilkinson, de 1866.

Foto: Reprodução

Foto: Australia Tourism

Espero que você tenha gostado das dicas! E se beber, não dirija!

Abraço,


Conheça os hotéis mais excêntricos da Patagônia chilena
Comentários Comente

Marcio Moraes

Caro amigo,

Visitar a Patagônia chilena já é, por si só, uma experiência mágica. A exuberante natureza ao redor, a rica diversidade de fauna e flora e as atividades radicais, como tirolesa e rafting, deixam qualquer viajante, por mais experiente que seja, de boca aberta.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Imagine, então, ficar em um hotel exótico no meio da selva? A Reserva Biológica Huilo Huilo, que fica a cerca de 850 quilômetros de Santiago, no Chile, oferece três opções de hotéis super originais, que proporcionam uma imersão completa na atmosfera da Patagônia. Veja só!

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Nothofagus Hotel, por exemplo, foi construído ao redor de uma árvore. São 55 quartos, sendo que o maior, um duplex, ocupa 68 metros quadrados e possui uma banheira de hidromassagem. Além de ser uma verdadeira casa na árvore, com o interior todo de madeira, o Nothofagus ainda oferece uma vista de encher os olhos.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Outra opção muito bacana na região é o Montaña Mágica Lodge, inspirado no vulcão Mocho-Choshuenco, que fica localizado dentro da Reserva. Enquanto as paredes externas são realmente cobertas por pedras vulcânicas, seu interior é aconchegante, feito todo de madeira. A grata surpresa é a cascata que deságua do topo do prédio até o chão. Muito show! Super exclusivo, o lodge conta com apenas 9 quartos.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

E, por fim, o Reino Funghi Lodge possui o formato arquitetônico de um cogumelo gigante, que fica em perfeita harmonia com o ambiente ao redor. É a melhor opção para abrigar famílias, porque oferece quartos compartilhados, com serviço de conexão entre eles por portas internas.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Os três hotéis, além de super divertidos e exóticos, dão direito a atividades auto guiadas pela Reserva Biológica Huilo Huilo, além de acesso ao delicioso Spa Lawenco.

E aí, gostou?

Boa viagem e até breve!


Conheça a nova onda dos brasileiros na Flórida
Comentários Comente

Marcio Moraes

Caro viajante,

Sabe qual a nova tendência de viagem que está seduzindo os brasileiros? Aluguel de casas para temporada na Flórida. Isso mesmo! Afinal, quem tem o sonho de se mudar para Miami pode, dessa forma, sentir o gostinho de viver em uma casa tipicamente americana, no perfeito American Way of Life.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Brasil é o quinto país emissor de turistas para os Estados Unidos, atrás do Canadá, México, Reino Unido e Japão. Ano passado, o país americano recebeu nada menos do que 2,2 milhões de brasileiros, que têm como destinos preferidos Orlando, terra do Mickey, e Miami, terra das compras, ambos na Flórida.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Atualmente, cerca de 15% dos viajantes brasileiros preferem ficar em casas alugadas durante as férias na Flórida, seja por conta do período de estadia prolongado, seja pelo número de pessoas no grupo. De qualquer forma, o aluguel de casas fica muito mais acessível financeiramente do que a hospedagem em um hotel. Fica a dica!

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Existem várias empresas que prestam serviço imobiliário aqui no Brasil para aluguel de casas na Flórida. E o melhor de tudo é que as ofertas abrangem todos os gostos – e bolsos. Interessante, não?

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O meu conselho, porém, é que você pesquise bem sobre as melhores imobiliárias para não sair no prejuízo, ok? Se não, o sonho de viver em uma casa americana pode virar um pesadelo.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Forte abraço e até a próxima!


Acelere nas curvas de Mônaco
Comentários Comente

Marcio Moraes

Caro amigo,

Vem aí a etapa da Fórmula 1 pela qual todos os apaixonados por velocidade, como eu, esperam. O Grande Prêmio de Mônaco acontece entre os dias 21 e 24 de maio e promete agitar o principado mais luxuoso do mundo.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A grande sacada deste circuito de 3,4 quilômetros é que ele acontece nas ruas da cidade-estado e, logo, os espectadores podem apreciar o Porto Hercule e seus iates, o Cassino de Monte Carlo ou a fachada do hotel Fairmont durante a competição. Isso sem falar nas pessoas elegantes e bonitas que dão as caras por lá.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Mas, engana-se quem pensa que Mônaco e automobilismo só combinam durante esta época do ano. Pelo contrário. O principado respira velocidade e apresenta aos visitantes várias opções de entretenimento relacionadas ao tema.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

É o caso do aluguel de carros de luxo, por exemplo. Imagina pilotar pelo circuito oficial com uma Ferrari? Demais! Além disso, toda ação é filmada e você pode guardar para sempre a lembrança de seu momento como piloto.

Outra atração bem bacana, que eu super recomendo, é a coleção de carros antigos do príncipe Rainier III. São 100 veículos que farão você viajar pela história do automobilismo. O acervo conta com carruagens, além de carros militares, esportivos, clássicos e ainda um automóvel especialmente fabricado para um casamento real monegasco.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

E quem pretende visitar Mônaco no inverno pode acompanhar o Rali de Monte Carlo, que acontece desde 1911 e chega em sua 84ª edição entre os dias 18 e 24 de janeiro de 2016. Apesar de ser urbana, a corrida garante adrenalina e diversão suficientes.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Bem, espero que tenha gostado da dica de hoje.

Um forte abraço e até a próxima!


Cinco motivos para amar as villas
Comentários Comente

Marcio Moraes

Caro amigo,

Existem viajantes que não trocam a estadia em um hotel por nada no mundo. Acho justo, até compreendo. Mas não concordo! Por isso, a minha missão de hoje é apresentar uma alternativa aos tradicionais hotéis e, com sorte, mostrar suas vantagens. As villas, charmosas e sofisticadas, funcionam como uma casa de temporada e, ao mesmo tempo, contam com todos os estimados serviços hoteleiros. Abaixo, veja alguns motivos que fazem deste tipo de acomodação uma ótima ideia.

Villa de Trancoso Foto: Reprodução

Villas de Trancoso, Bahia Foto: Divulgação

PRIVACIDADE

Uma grande vantagem da villa é a preservação da intimidade dos hóspedes. Enquanto os hotéis concentram as opções de lazer na área comum, as villas oferecem áreas privativas. Piscina, sauna e até quadras de tênis estão ali, ao seu – e só seu – dispor.

Villas de Trancoso Foto: Reprodução

Villas de Trancoso, Bahia Foto: Divulgação

EXCLUSIVIDADE

Personal chef, mordomo e massagista fazem parte do serviço exclusivo das villas. Os hóspedes recebem um tratamento personalizado, sob medida para suas necessidades. Quer uma babá 24h? Um banquete ao entardecer? Uma massagem na beira da piscina? O céu é o limite.

Foto: Villa Laucala, Fiji Foto: Reprodução

Foto: Villas Laucala, Ilhas Fiji Foto: Divulgação

LIBERDADE

As villas garantem plena autonomia para seus hóspedes. Se você gosta de cozinhar, tem um espaço totalmente equipado à disposição. Se sua vontade é dar uma festa para amigos, bem, mi casa es su casa. Sentir-se livre para fazer o que bem entender, onde, quando e como quiser, é uma das maiores vantagens das villas.

Villa Alila Uluwatu, Bali, Indonésia Foto: Reprodução

Villas Alila Uluwatu, Bali, Indonésia Foto: Divulgação

UNIÃO

Eu recomendo a hospedagem em villa principalmente quando a viagem é feita por uma turma grande, seja família ou amigos. Dessa maneira, todos dividem o espaço comum, o que torna a experiência divertida e especial.

Foto: Divulgação

Villas Alila Uluwatu, Bali, Indonésia Foto: Divulgação

INTEGRAÇÃO

O grande lance de ficar hospedado em uma villa é que o ambiente te deixa à vontade, como se aquela fosse a extensão da sua própria casa. Assim, acredito que a integração com o destino é mais fácil e, aos poucos, a impressão que dá é que você realmente pertence ao lugar.

Villas de Trancoso, Bahia Foto: Divulgação

Villas de Trancoso, Bahia Foto: Divulgação

E aí, que tal trocar um quarto de hotel por uma villa na próxima viagem?

Abraço!

 


Deslize pelas melhores estações de esqui da América do Sul
Comentários Comente

Marcio Moraes

Caro viajante,

Tenho que confessar que, mesmo vivendo em um “país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza”, como diria Jorge Ben Jor, eu amo a neve. Os floquinhos brancos que caem do céu tornam qualquer lugar mágico, não é?!

Por isso, fico muito ansioso a cada nova temporada de esqui na América do Sul. Afinal, as melhores montanhas ficam a poucas horas de voo do Brasil. Argentina e Chile são os principais destinos de neve na região e oferecem opções para todos os gostos. Fique ligado nas novidades das melhores estações de esqui e prepare as malas!

VALLE NEVADO SKI RESORT

Maior resort de esqui do Hemisfério Sul, o Valle Nevado atraiu, ano passado, cerca de 300 mil brasileiros e se consolidou como o favorito por aqui. O anúncio da nova temporada, que vai de 26 de junho a 25 de setembro, trouxe novidades interessantes, como o lançamento de um aplicativo que traz uma seleção de músicas para você curtir enquanto desliza sobre as pistas. Restaurantes, bares e acomodações também foram reformulados.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

São mais de 40 quilômetros de pistas, divididas em quatro níveis de dificuldade. Os inexperientes têm a chance de participar de aulas, particulares ou coletivas, com instrutores bilíngues, enquanto os mais ousados podem treinar saltos freestyle no snowpark, espaço onde a adrenalina rola solta.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Além disso, a surfista Maya Gabeira, conhecida como uma das melhores do mundo em ondas grandes, é a embaixadora da temporada 2015 na estação. A carioca trocará a parafina pelo gorro e fará um treinamento especial nas montanhas geladas de Valle Nevado. DEMAIS!

www.vallenevado.com/pt/

LAS LEÑAS

A estação argentina prepara uma temporada na qual a grande protagonista é a neve. Isso mesmo! Afinal, o que realmente importa quando estamos falando de esqui?

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Las Leñas investiu em novos canhões de neve de última tecnologia para facilitar o acesso e, claro, a diversão em todas as 30 pistas da estação. Deste modo, é possível curtir a neve, sempre perfeita, durante toda a temporada, que começa no dia 20 de junho e se estende até 27 de setembro.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O destaque da temporada fica por conta da ampliação da pista Conexão Eros-Minerva, que passa a ter um percurso esquiável duas vezes maior. Isso significa o dobro de curtição!

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Localizado no coração da Cordilheira dos Andes, o complexo de Las Leñas está situado em Mendoza, província famosa por suas vinícolas, a cerca de 1200 quilômetros de Buenos Aires.

www.laslenas.com

PORTILLO

Quem quer aproveitar as férias escolares para uma viagem familiar encontra na estação Portillo o lugar ideal. A temporada, que vai de 20 de junho a 3 de outubro, reserva uma programação diversificada, cheia de atividades para toda a família.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Durante o mês de julho, por exemplo, Portillo oferece as Family Weeks, nas quais crianças, jovens e adultos podem aproveitar atividades exclusivas e ainda estreitar os laços. Entre as atividades para além do esqui, há aulas de dança, karaokê e festas temáticas.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Além disso, a estação Portillo lançou um programa de hospedagem all-inclusive para o Hotel Portillo, que inclui passes para os meios de elevação, quatro refeições diárias, uma aula por dia em grupo, além de kids club para crianças de 4 a 7 anos. Nada mal, não é?

www.skiportillo.com

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Agora que já sabemos o que a nova temporada de neve nos reserva, basta escolher a estação ideal e separar os casacos.

Boa viagem!


Conheça os restaurantes brasileiros mais estrelados
Comentários Comente

Marcio Moraes

Caro amigo,

Já comentei por aqui que vejo na gastronomia uma fonte inesgotável de riqueza cultural. Os sabores, aromas e ingredientes típicos de cada país podem nos levar a uma impressionante jornada de descobertas. Uma viagem não é completa se não tiver uma experiência gastronômica marcante, não é?

Em alguns lugares, porém, é difícil escolher um restaurante verdadeiramente especial entre tantas opções. E é por isso que sempre carrego na minha mala um Guia Michelin, referência mundial de classificação gastronômica para aqueles que, assim como eu, são exigentes quando o assunto é comida.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

E sabe qual é a boa nova que quero compartilhar com você? Depois de mais de um século de sucesso em 24 países e 4 continentes, o Guia Michelin finalmente estreou uma edição brasileira, que cobre os restaurantes e hotéis de São Paulo e Rio de Janeiro! Mais do que merecido, não acha?

Além de incluir 188 estabelecimentos, incluindo hotéis, o Guia Michelin destaca 17 restaurantes que receberam estrela na classificação, ou seja, passam a ter relevância mundial. Você conhece algum deles?

D.O.M

Fotos: Rubens Kato e Sergio Coimbra

Fotos: Rubens Kato e Sergio Coimbra

Comandado pelo chef Alex Atala, o restaurante paulistano foi o único contemplado com duas estrelas Michelin (a condecoração máxima é de três estrelas). Atala propõe uma rica proposta gastronômica que valoriza ingredientes tradicionais brasileiros. Experimente o menu degustação e prepare-se para uma experiência inesquecível.

www.domrestaurante.com.br

 

MANÍ

Fotos: Bruno Geraldi

Fotos: Bruno Geraldi

Uma cozinha inovadora e criativa surgiu da parceria entre o chef catalão Daniel Redondo e a gaúcha Helena Rizzo. Com uma estrela Michelin, o paulistano Maní é moderno, jovem e ousado. Tanto ambiente quanto serviço estão à altura da alta gastronomia desenvolvida pela dupla de chefs.

www.manimanioca.com.br

 

ORO

Fotos: Tomás Rangel

Fotos: Tomás Rangel

O restaurante do jovem, porém conceituado chef Felipe Bronze oferece uma experiência sensorial e criativa cujo tema principal é o Brasil. Amazônia, cerrado, caatinga são fontes inesgotáveis da riqueza gastronômica proposta pelo restaurante carioca. O menu degustação é a chave de ouro para agradar até os foodies mais exigentes.
Água na boca!

www.ororestaurante.com

 

MEE

Fotos: Alle Vidal e Fernando Lemos

Fotos: Alle Vidal e Fernando Lemos

Se você aprecia a culinária oriental como eu, não pode deixar de conhecer o Mee, no tradicionalíssimo Belmond Copacabana Palace. O restaurante, comandado pelo chef celebridade Ken Hom, leva o conceito de perfeição gastronômica a um nível superior. A proposta de levar os clientes a uma jornada gastronômica pela Tailândia, Malásia, Cingapura e Japão é apenas um dos motivos pelos quais o Mee conquistou sua tão merecida estrela.

www.belmond.com

Veja a lista completa dos restaurantes estrelados do Guia Michelin São Paulo & Rio:

DUAS ESTRELAS

D.O.M (SP)

UMA ESTRELA

São Paulo: Attimo, Dalva e Dito, Epice, Fasano, Huto, Jun Sakamoto, Kinoshita, Kosushi, Maní, Tuju.

Rio: Lasai, Le Pré Catelan, Mee, Olympe, Oro, Roberta Sudbrack.

BIB GOURMAND (seleção do melhor custo x benefício)

São Paulo: Antonietta Empório, Arturito, Brasserie Victória, Casa Santo Antônio, Ecully, Esquina Mocotó, Jiquitaia, L’Entrecôte de Paris, La Cocotte, Marcel, Mimo, Miya, Mocotó, Sal Gastronomia, Tartar & Co, Tian, Zena Caffè.

Rio: Artigiano, Cais, Entretapas, Lima Restobar, Miam Miam, Oui Oui, Pomodorino, Restô.

 

Bom apetite e até a próxima!